PÁGINA INICIALBLOGDados Estatísticos dos Espetáculos em 2016

Viva, sinta e respire as emoções dos nossos Efeitos Especiais para Espetáculo

 

Dados Estatísticos dos Espetáculos em 2016

O ano de 2016 mostrou-se essencial no rejuvenescimento da industria portuguesa do entretenimento.

Em publicação do passado dia 12 de Dezembro de 2017, o Instituto Nacional de Estatísticas - INE divulgou os dados oficiais no que diz respeito aos números do que aconteceu no setor da cultura, das artes, e do entretenimento em geral, e pudemos ficar a conhecer as reais raízes da impressionante recuperação das actividades de lazer dos portugueses no passado ano de 2016.

Ora, vejamos então.

São reconhecidas oficialmente 350 salas de espetáculo portuguesas a funcionar normalmente, constando que disponibilizavam uma lotação máxima de 177.000 lugares, repartidos depois por:

Os índices de 2016 face ao ano transato de 2015 foram, na generalidade, bastante superiores. O total de espetadores que procuraram espetáculos artísticos ou culturais ao vivo cresceu 19%, originando, depois, não só um aumento de 13% nas sessões disponibilizadas ao público, como num impressionante crescimento nas receitas financeiras de 43%, sustentando uma industria de 52.827 empresas, que geram um volume de negócios na ordem de 4,7 milhões de euros.

Estimou-se também que, no ano de 2016, as famílias portuguesas gastaram uma média de 845 euros em actividades de lazer cultural, o que significou 4,2% do orçamento médio anual estimado, sendo que:

De entre um total de 14,8 milhões de pessoas que, em 2016, assistiram a espetáculos ao vivo ou a outros eventos culturais ligados à arte:

Prestando agora um pouco mais de atenção à área cultural em que a INstage se vê mais vezes envolvida, os espetáculos musicais ao vivo, o crescimento do número de espectadores até se conseguia antever a troco de numa leitura mais atenta aos números disponibilizados nos anos transatos:

Em relação às sessões de espetáculos musicais que foram disponibilizadas ao público:

Já quanto às receitas de bilheteira, faturou-se em concertos musicais:

Em 2016, o valor médio dos bilhetes rondou os 23 euros.

Repartindo agora os resultados por género musical:

Antes de terminar, salientamos os 385 milhões de euros que as Câmaras Municipais gastaram em atividades culturais e criativas em 2016 (menos 6 milhões do que em 2015), distribuídas em várias áreas artísticas, formativas e culturais, tais como:


Fonte: Instituto Nacional de Estatísticas - INE, em publicação do passado dia 12 de Dezembro de 2017

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais sobre a nossa política de privacidade e o uso de cookies Aceitar